O design surgiu para criar coisas que são úteis, simples, confortáveis e envolventes.

Mas o que isso tem a ver com um novo modo de pensar?

O design thinking propõe que os elementos de design inspirem um novo mapa mental, como forma de ver o mundo e de buscar soluções criativas, que atendam às necessidades das pessoas com simplicidade, eficiência e bem-estar.

E o design thinking pode ser exercitado!

 

 

Esteja centrado no cliente. Para que você possa entregar algo útil e interessante, é importante saber quem é o seu cliente e orientar o seu trabalho para atender às necessidades dele, especialmente aquelas que não são declaradas e são mais significativas.

Experimente e obtenha inspiração. É necessário estar aberto a novas maneiras de fazer as coisas. Trabalhe em equipes interdisciplinares que fomentem a experimentação e discussão em torno de novas ideias.

Favoreça novas ideias (“Ideação”). Estruture um brainstorming para identificar diferentes possibilidades para construir protótipos de solução. Isso deve começar rapidamente e incluir até mesmo abordagens aparentemente radicais. Em termos práticos, tenha uma primeira ideia e tente implementá-la, ainda que ela não seja perfeita. Desenhe um rascunho e colete ideias. O rascunho funciona como protótipo, e o feedback e a iteração permitem melhorias.

O design thinking busca a solução de problemas de uma forma criativa e inovadora, seja na advocacia ou em outros setores.

Ele autoriza advogados a exercitarem seu pensamento de forma livre e sem amarras. E à medida que os protótipos se tornam mais tangíveis, o advogado deve avaliar a viabilidade legal de cada um deles e também explorar com o cliente se cada protótipo é simples, intuitivo e agradável. Um pensamento que exercita a empatia criativa é também um pensamento de design.

Apenas um pensamento livre será capaz de propor uma releitura do direito à luz dos novos modelos de negócios e das rápidas alterações pelas quais o mundo e a Sociedade têm passado.

Ainda, o design thinking desafia o modo de comunicação dos advogados, pois ele incorpora elementos visuais. Ao invés de simplesmente falar ou escrever uma solução, acrescente desenhos que possam trazer detalhes significativos. O pensamento visual ajudará as ideias a se tornarem mais claras e possibilitarão que a comunicação seja mais rica e convincente.

Com o design thinking no nosso dia a dia e no nosso Café com Criatividade o Alves Pryngler Advogados propõe que se desenvolvam melhores formas de trabalhar, novas ideias para produtos e serviços, uma cultura organizacional mais forte e colaborativa e um relacionamento duradouro com nossos clientes.

Se você quiser conversar mais a respeito de como implementar o design thinking na advocacia ou em outros setores, entre em contato conosco.

Comment

Leia Mais